PF investiga caso de empresários que tomaram vacina às escondidas

O grupo formado por políticos e empresários do setor de transportes adquiriu doses da Pfizer; 50 pessoas receberam uma dose da vacina em Belo Horizonte.

Polícia Federal irá investigar o caso de empresários mineirosque adquiriram e tomaram doses de vacinas contra a COVID-19 sem repassar os imunizantes ao Sistema Único de Saúde (SUS). O caso foi relevado em reportagem da revista Piauí publicada nessa quarta-feira (24/03).

Segundo a revista, o grupo formado por políticos e empresários do setor de transportes adquiriu doses da Pfizer e aplicaram secretamente em 50 pessoas.

Um dos que teriam recebido a dose foi o ex-senador Clésio Andrade, ex-presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT). “Estou com 69 anos, minha vacinação (pelo SUS) seria na semana que vem, eu nem precisava, mas tomei. Fui convidado, foi gratuito para mim”, disse à piauí.

Ao jornalEstado de S. Paulo, Andrade negou ter sido vacinado pelo grupo. “Desconheço. Estou em quarentena aqui no Sul de Minas. Tive COVID”, afirmou.

Seis vídeos obtidos pelo jornal mostram pessoas sendo vacinadas na noite de terça-feira, 23, na garagem de uma empresa de transporte localizada em Belo Horizonte.

As imagens foram gravadas por vizinhos do local, que denunciaram um esquema clandestino de imunização contra a COVID-19 pela viação Saritur. O vai e vem ocorreu após as 20h, quando já estava em vigor o toque de recolher determinado pela prefeitura.

Reprodução

As imagens exibem uma aglomeração de carros em volta da entrada do local. Uma mulher de jaleco branco vai até o porta-malas de um carro, retira a vacina e aplica nos motoristas. Alguns descem do carro para receber sua dose.

Outros são vacinados dentro do próprio carro. Uma outra pessoa anota nomes em uma ficha, como se estivesse confirmando cada vacinação dada.

Em nota, o grupo empresarial Saritur esclarece que o assunto tratado na matéria é de total desconhecimento da diretoria da empresa.

O Grupo Empresarial SARITUR esclarece que os nomes citados na reportagem ‘Empresários tomam vacinas às escondidas’ não fazem parte do corpo societário do Grupo. Esclarece ainda que o assunto tratado na matéria é de total desconhecimento da Diretoria da empresa.”

PL 534/2021

A compra de vacinas pela iniciativa privada é permitida no Brasil desde o início do mês, no entanto, os imunizantes devem ser repassados ao SUS até que todos os brasileiros do grupo de risco sejam vacinados, o que ainda não ocorreu.

A regulamentação foi feita em projeto de lei que tramitou a jato no Congresso e foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *